O PT se vinga da VEJA – É apenas o começo…

0
3548



“Quando se quer entrar em um buraco de rato, de rato você tem que transar” (Raul Seixas)

Foi lembrando desse verdadeiro e sábio conselho acima, que fui parar no blog petista “Conversa Afiada”, do jornalista Paulo Henrique Amorim, da Rede Record, aliada notória do governo do Partido dos Trabalhadores, através do Bispo Macedo. É importante, para os que querem estudar o PT e seus bobos da corte, se aventurar no mar de lama dos sites e blogs “chapa-vermelha”. Veja o que foi publicado, com ar de comemoração, na foto abaixo, sob o título de “Dilma cancela publicidade na VEJA. É pouco!”:


Sim, um jornalista, que inclusive já trabalhou na Editora Abril, em êxtase porque a VEJA não receberá mais anúncios do governo federal, o dinheiro do contribuinte. Nosso dinheiro, mas na visão do PT, dinheiro do partido. A VEJA não irá quebrar sem o dinheiro dos anúncios do governo federal, mas a gravidade não reside nesse fato hipotético, e sim no fato prático: um órgão de imprensa recebe uma denúncia, estuda, averígua e publica, e o Governo agora a repreende. A capa diz o que o doleiro falou: “Lula e Dilma sabiam”. E veio antes das eleições, numa 6ª feira, como de praxe em época de eleições. A pergunta que vem à cabeça é: a VEJA deveria ignorar tal informação e divulgá-la somente após as eleições? E o dever básico do jornalista que é informar, deixando o julgamento do conteúdo com o único censor que deveria existir: o leitor? Isso seria colocado de lado por medo de uma represália deste governo autoritário? VEJA fez o correto ao publicar as falas do doleiro. Assim como fez bem de ter noticiado as denúncias de Pedro Collor e do Mensalão – ambas negadas no início, pelos respectivos citados nos diferentes e históricos casos. Cabe à imprensa não vendida este papel, de informar, informar e informar até a morte. Até acabar a tinta. Se a VEJA foi irresponsável e tiver mentido, a Justiça está aí para isso.
Isso é o que nos espera: a censura da imprensa. De forma escancarada. Porque a forma velada de censura já existe. O Brasil é um lugar extremamente perigoso, violento, corrupto e atrasado, mesmo com todas as denúncias diárias de corrupção e demais crimes trazidas pela imprensa. Teria o país a condição de suportar sobreviver com uma imprensa subordinada aos interesses do governo Federal? Não. A quem interessa o silêncio da imprensa livre? Ao policial que cumpre seu trabalho de forma honesta ou ao policial corrupto? Ao político que trabalha por seus eleitores ou ao político que corrompe e é corrompido?  É evidente que só interessa aos que vivem nas sombras. O PT não suporta ser confrontado, seus líderes e militantes odeiam a imprensa. Chamam todas de golpistas, tucanas, vendidas, cúmplices do regime militar e tudo o que, na cabeça deles, sirva para difamar os jornalistas e veículos livres. O curioso é que não se tem relato de uma redação de jornal, impresso ou televisivo, com jornalistas conspirando contra esse ou aquele governo, até porque as redações estão entupidas de petistas. Mas o PT e seus seguidores imaginam a seguinte cena: William Bonner, com seus colegas, falando baixinho sobre como conquistar o Brasil e derrubar o PT. A redação do JN se reunindo nas escadas da Globo, para ter um ar de maior conspiração, tudo para tirar os salvadores da pátria do poder, onde o “povo” os colocou e de onde agora a mídia golpista quer tirá-los. Tentar entender a mente de esquerdistas neuróticos é tarefa para psiquiatras, e não jornalistas.

Na argumentação do jornalista, que escreveu a comemoração da retirada do dinheiro público nos anúncios de VEJA, existe uma contradição gigante, que ele não perceberá porque é pago para não perceber, através do mesmo dinheiro do contribuinte: ora, se a VEJA, Globo, SBT e demais veículos de imprensa, recebem estas somas milionárias do governo Federal, essas mídias são completamente loucas, débeis, desconectadas da realidade, por quererem, supostamente, aplicar um golpe nesse governo. Quem, em sã consciência, gostaria de derrubar aquele que paga, segundo o jornalista, 600 milhões por ano, no caso da Globo, à sua emissora? A família Marinho tem de ser internada, imediatamente. Mas o que prova isso tudo que ele mesmo afirma? É exatamente o oposto, e isso o Brasil tem de se orgulhar, comemorar e aproveitar enquanto pode. Se esses veículos de comunicação não se vendem por essas quantias bilionárias, é um excelente sinal. Se não se calam diante dessas vultosas somas, não se calarão por nada. E é assim que a imprensa livre tem de ser. “Incomprável”. Se o referido jornalista se vende por um trocado ao PT, deve pensar que todos da imprensa são iguais, que se vendem em suaves prestações. Senhor Paulo Henrique Amorim, você está completamente enganado, pois os homens de valor não se curvam frente à nenhuma quantia. E você deve ter se acostumado a isso pelo convívio com os comissários petistas, frequentadores relâmpago da Papuda, envolvidos diariamente em casos de corrupção. O problema não é a imprensa ser golpista, muito pelo contrário, ela pode ser considerada até branda com o PT, e os extremistas de direita pensam exatamente isso: a imprensa é comprada pelo PT. Ambos os lados estão enganados. Felizmente.
O que assusta este que vos escreve é o silêncio, e aí me dirijo à imprensa como um todo, dela mesma sobre tal ato de represália com a revista VEJA. Hoje é a VEJA, amanhã serão todas as outras que ousarem denunciar o governo mais corrupto da História deste país. A maioria dos brasileiros tende a pensar que o último recurso de defesa entre “nós e eles”, brasileiros e petistas, são as Forças Armadas, mas se enganam. A última fortaleza que resiste ao bombardeio petista é a imprensa. Livre. Por enquanto…
Como adendo ao texto, cabe chamar atenção para um fato, que são os comentários dos leitores do blog, e aqui seleciono alguns:


O jornalista, que ganha para ser chapa-vermelha, “tudo bem”, é um vendido como tantos outros, mas os comentaristas são o que? Observem o nível dos pequenos ditadores de republiquetas de bananas, cada um querendo opinar sobre como acabar com a imprensa livre no Brasil. Estes comentários são eco de tudo o que o PT fará, que é lutar com unhas e dentes pela regulamentação da mídia. Em bom português, o que isso quer dizer é que o PT decidirá o que você, leitor/telespectador, deve ou não ler/assistir. Mais uma vez, é o partido jogando a liberdade de escolha individual na lata do lixo. E termino citando Raul Seixas novamente: “Tem que ser selado, registrado, carimbado, avaliado e rotulado, se quiser voar!” — Esse seria o sonho do PT para a imprensa e todos cidadãos brasileiros.
Nota: a sigla PIG, nos comentários petistas, significa: Partidos da Imprensa Golpista. Sim, isso é sério. Pelo menos eles sabem falar uma palavra em inglês, já é um avanço!


Foto abaixo: e-mail de uma cidade no interior de São Paulo, proibindo a VEJA em salas de espera e ordenando para que as jogassem no lixo. Se fosse o oposto, todos esquerdistas estariam gritando que estamos vivendo sob uma ditadura. 

E o ataque à sede da Editora Abril, responsável pela VEJA, feita pela União Juventude Socialista (UJS), com representantes na foto abaixo, ficará impune? Dilma, realmente, não está bem na foto:
***

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/diariodacorteoficial
Inscreva-se em nosso canal do Youtube: www.youtube.com/diariodacorteoficial
Leia mais sobre a depredação à sede da VEJA: 
Leia mais sobre a queda das instituições brasileiras: 

Veja a mais nova postagem do Diário da Corte!