O PT quer que a Venezuela de hoje seja o Brasil de amanhã (Ou: ataque a cidadãos brasileiros vira piada petista)

0
3984

A oposição brasileira ganha muitos pontos ao ir pra Venezuela, principalmente Aécio e Ronaldo Caiado. Quer pelo lado simbólico, quer pelo lado prático. E que na prática os senadores de oposição entendam e sintam o que é o ‘socialismo do século XXI’ que o PT tanto admira, com visitas de Rui Falcão, que vai pra lá puxar o saco dos bolivarianos, em cenas vergonhosas que podem ser vistas no Youtube, e com elogios rasgados de Luis Inácio Lula da Silva. E que após sentir o socialismo na pele, lutem com unhas e dentes pra extirpar qualquer tentativa do PT de implementá-lo — ainda mais — aqui.

Que levem mais a sério o FORO de São Paulo, a percepção de grande parte de seu eleitorado de repulsa ao comunismo, e tirem, o quanto antes, Dilma do poder; leia-se: o PT do poder, porque o Brasil, como qualquer outro país, não tem condições financeiras, morais e políticas de sustentar uma quadrilha por tanto tempo. Na VEJA, li a frase abaixo:

Aécio Neves: ‘O governo tem que escolher de que lado está’

Aécio, eu respondo: o governo brasileiro já decidiu há muito tempo de que lado está. E é o lado do próprio PT, da ideologia socialista e ‘bolivariana’, acima, muito acima, inclusive, do próprio país. O Brasil, para o PT, é, com toda certeza, um pedra no sapato de todos mandatários petistas, porque existe uma parcela da população que não se curvou ao projeto de poder implementado na Venezuela e tão desejado pela esquerda brasileira. O PT considera seu erro mais grave não ter estatizado as televisões abertas de cara, com a chegada no poder. Como feito na Venezuela e Argentina. Não consideraram mensalão ou petrolão erros graves. Para o PT, ambos os casos são ‘fichinha’, invenção da mídia e da CIA. Nós, contribuintes brasileiros, somos a única razão do PT tolerar o Brasil, porque não paramos de pagar impostos mesmo com todos absurdos que sabemos. O PT nos ama. É um caso de amor monetário, visto somente em bordéis.

Quanto ao ataque na Venezuela, orquestrado pela máfia de Maduro, não me surpreende em nada. Basta ler o livro “Comandante – A Venezuela de Hugo Chávez”, que todos saberão o que se passou e se passa em nosso vizinho. É uma repetição do que aconteceu em qualquer país que implementou o socialismo, com a economia só favorecendo os capachos do governo, e enriquecendo amigos e familiares do rei — Chávez e, agora, Maduro. O livro é uma bola de cristal aterrorizante, porque muito do que foi feito lá já foi feito aqui e podemos refletir: alguma semelhança com o Brasil? Onde José Dirceu ganhou, enquanto preso!, milhões de reais por “consultoria”? E Lula ganha milhões de reais por “palestras”, que não “são pra qualquer empresa”, como disse Okamotto, seu cicerone?
Lá, a petroleira estatal está nas mãos dos amigos do Rei, aqui, a Petrobras também.
Lá, os zilhões de dólares do petróleo não viraram benefícios para a população. Aqui também.
Lá, oposicionista é chamado de golpista. Aqui também.
E lá, para nosso desespero, se encontra a empresa que fabrica e cuida de nossas urnas eletrônicas, a Smartmatic.

Qualquer país, mesmo o mais esculhambado do mundo, depois de ter cidadãos seus sendo motivo de violência em território vizinho, tomaria atitudes enérgicas. Aqui haverá um teatrinho, mas se queremos saber como pensa o PT, como pensa Dilma ou Lula e cia. não precisamos imaginar nada, basta entrar no Facebook do PT, que tão certo de sua impunidade, tem a ousadia de tripudiar da oposição, do Brasil e dos cidadãos que, em teoria,  o governo deveria defender:

 

#PTMicoaSerExtinto

 

A resposta verdadeira do governo, Aécio e senadores oposicionistas, é essa: deboche e hashtag pra militância e robôs espalharem pela internet, com o nosso dinheiro. Por que? Porque o PT não entende o que é oposição, democracia e essas coisas chatas que tomam o tempo. Eles estão no poder pelo poder e pelo dinheiro, grana. Sempre ela. O tal ‘Capital’ que alimenta os uísques escoceses dos Reis venezuelanos e brasileiros. Eles tem, no fundo, no fundo, inveja de Maduro, eles queriam bater e atirar nos oposicionistas aqui mesmo no Brasil, com a mesma liberdade vista pra isso ontem, na Venezuela. E a resposta da sociedade brasileira ao ocorrido será termômetro fundamental para dizer ao PT se nós toleraríamos o mesmo aqui dentro. O PT quer que a Venezuela de hoje seja o Brasil de amanhã.