A Esquerda Brasileira – Com Marx empoeirado na estante e muitos dólares na carteira

0
3887



Não há classe mais apegada ao dinheiro do que a comunista. Não existem seres mais cínicos e danosos ao Brasil do que os pseudo-comunistas de plantão, que sonham com Cuba e acordam gozando em Orlando, Flórida; ou em seus apartamentos em Paris – alô, alô Chico Buarque! 
Como é gostoso ouvir bossa nova no Leblon falando bem da Venezuela, como é doce tomar uma Coca Cola, em seu sofá, frente à sua TV de LCD, torcendo pelo ditador adolescente norte-coreano quando ele “desafia” o Ocidente, como é bonito criticar as UPP’s com a maresia entrando por suas narinas e aquele gosto de sal do mar na boca.


A hipocrisia de todas as “Sininhos” espalhadas país afora é mais uma das “heranças malditas” do PT. Este partido, consciente e maquiavelicamente, deturpou os valores a um ponto que nem os mais pessimistas imaginavam. Bolsas infindáveis e enganadoras, já que a inflação come o mesmo dinheiro “doado” pelo projeto “social”. Os impostos sobre itens básicos de alimentação, moradia, materiais de construção e outros não me deixam mentir. Mas a população mais ignorante jamais saberá que paga, proporcionalmente, mais impostos que o rico. No Brasil há uns termos infelizes como: “dinheiro público” – dinheiro público? É dinheiro do contribuinte. Aliás, “contribuinte” é outra pegadinha de nosso vocabulário, é pagador de impostos – o nome diz tudo; Imposto -“impor, sobrepor, aplicar, encarregar de, obrigar a”. Em inglês, o correto: “Tax Payer” e “tax payer money”, para o nosso “dinheiro público”. 
O Brasil é o único circo do mundo onde os palhaços, nós, pagam a entrada. E o que há de mais triste é perceber que os salvadores da pátria, pelo que percebo ao redor, são seres extremamente rasos, atrelados a partidos no mínimo duvidosos. Vide Heloísa Helena (PSOL) há pouco tempo atrás, Marina Silva (REDE) e Marcelo Freixo (PSOL), na atualidade. Socialismo e Liberdade, numa mesma frase, somente no slogan do PSOL. É altamente recomendável, para se conhecer um pouco mais do Comunismo, o documentárioA Soviet Story, e os livros Fuga do Campo 14 e o clássico Arquipélago Gulag”. 
Em ano de eleição, na nossa terra tomada pela esquerda caviar, não posso deixar de passar umas informações básicas, como por exemplo: Dilma, em 2010, não foi eleita pela maioria dos Brasileiros. Não, não é teoria da conspiração. Brancos, nulos, abstenções e votos no candidato da oposição atingiram aproximadamente 79 milhões de votos (o número de abstenções é assustador: 29 milhões) e a presidente atingiu 55 milhões de votos. Por que digo isso? Para que o discurso de votar nulo ou em branco seja repensado. Este discurso é muito bonito quando temos 15 anos de idade. Tudo que o PT quer é que você vote Nulo, em Branco e, principalmente, não vote. Não acredite em quem propaga este discurso, provavelmente ele é a favor da manutenção do Governo atual. 
Voto nulo é coisa de alienado. Não comparecer no dia da votação – e aqui me dirijo aos portadores de lucidez política – é um crime contra suas consciências, porque não dá para passar mais 4 dias, que dirá anos, suportando esta quadrilha aparelhando todos os setores públicos do país. 2014, com Copa ou sem, é o ano da vitória da sociedade espancada por tanta corrupção, falcatruas e cinismo deste Partido e seus asseclas. 


O PT votou contra o Plano Real, contra a Constituição de 88, contra a Lei de Responsabilidade Fiscal e, atualmente, anda de mãos dadas com Collor, Sarney, Jader Barbalho, Renan Calheiros, Maluf e outras figuras do mesmo naipe. Ainda com relação às eleições, é um partido pronto pra guerra, afinal, como disse Dilma, “em época de eleição podemos fazer o diabo”, com seu exército de mercenários na internet, pagos para denegrir a oposição, a imprensa não comprada e tudo que possa, eventualmente, arriscar a permanência do partido no Planalto. 


P.S.: Curiosidade do autor: De onde o PSTU consegue tanto dinheiro para produzir essas milhares de bandeiras que vemos em qualquer manifestação?
Veja a mais nova postagem do Diário da Corte!