Podcast do Diário – Comentários sobre a tentativa petista de mudar a LDO

0
3376


por: Alexandre Karamazov

Podcast do Diário – Confira nossos comentários sobre a mudança na LDO — Lei de Diretrizes Orçamentárias — que o PT quer empurrar goela abaixo do Brasil, para proteger sua economia falida e Dilma Rousseff. O básico para entender o que está acontecendo bem debaixo de nossos narizes.


O governo federal conseguiu alterar a LDO, Lei de Diretrizes Orçamentárias, na Comissão Mista do Orçamento, na madrugada desta 3a feira, dia 25. 
Nós, do Diário da Corte, fomos atrás de informações básicas sobre o assunto com um economista, cujo nome será preservado, porque a patrulha petista não poupa ninguém.
A LDO é uma das premissas da Lei de Responsabilidade Fiscal (criada por FHC em 2000, com o PT votando contra, ou seja, o partido já era contrário à Lei de Responsabilidade Fiscal desde sua criação)
O que é a LDO? É a Lei de Diretrizes Orçamentárias e é uma forma de controle de gastos. Assim como a dona de casa avisa seus filhos que eles estão gastando muito e precisam reduzir os gastos, a LDO avisa ao governante que é hora de pisar no freio e economizar.O PT não economiza, ainda mais em ano eleitoral. E mesmo com todas as maquiagens econômicas, chegamos ao ápice agora, com a proposta de alteração da LDO. Resumindo: 
O governo Dilma não consegue pagar suas contas. E o que faz? Economiza? Não. Continua gastando e quer alterar as regras do jogo. Nas palavras do deputado Izalci, do PSDB do Distrito Federal, “o que estão fazendo é dar uma anistia à presidente. é bom que fique claro.” E por que o deputado coloca desta maneira? porque se a LDO fosse mantida, ou seja, se as metas de gastos fossem preservadas, as contas não fechariam e a presidente estaria quebrando a Lei de Responsabilidade Fiscal, uma espécie de mãe da Lei de Diretrizes Orçamentárias. Com isso, a presidente poderia sofrer o Impeachment, e é por isso o desespero do PT.
Na economia, você pode prever seus gastos, mas seus ganhos são estimados, daí a palavra “previsão”. A LDO cria mecanismos para o caso da previsão se mostrar errada e a arrecadação ser tornar inferior, ou seja, o governo gastar mais do que arrecadar. O que é o caso constante de Dilma Rousseff e do PT.
É preciso que fique claro que isso acontecer em ano eleitoral não foi coincidência. O PT jamais botaria a responsabilidade econômica à frente dos interesses eleitorais. Não iria aumentar a SELIC, a gasolina, a luz, antes das eleições. Não iria cortar programas assistenciais, salários do funcionalismo público, e portos em ditaduras da América Latina. Isso o PT jamais faria. Os gastos explodiram. Se a oposição tivesse ganho, herdaria a mais maldita situação econômica. Como o PT ganhou, resta a eles quebrar a lei, mudar as regras do jogo e anistiar a presidente, que vê as flechas do Impeachment sujas de petróleo de um lado e outras sujas de déficits econômicos de outro. 
Não há onde se esconder, cara presidente.

Veja a mais nova postagem do Diário da Corte!